Início DESTAQUE SUSPEITA DE H1N1, MAS CONHECIDA COMO GRIPE SUÍNA EM UNAÍ!

SUSPEITA DE H1N1, MAS CONHECIDA COMO GRIPE SUÍNA EM UNAÍ!

1135
0
COMPARTILHAR

Segundo relatos, na tarde da última quarta-feira dia 04 de abril de 2018, uma paciente com suspeita de Gripe Suína, tendo por nome cientifico H1N1, deu entrada no Hospital Municipal de Unaí. Até o inicio da manhã do dia 05 de abril a secretaria de saúde não havia se pronunciado, porém no inicio da tarde do mesmo dia a assessoria de imprensa da prefeitura  emitiu um comunicado: “A Prefeitura Municipal de Unaí confirma que um paciente com suspeita da gripe H1N1 e a Secretaria Municipal de Saúde estão realizando todos os protocolos a serem feitos em casos como estes”.

Hoje, 06 de abril, a prefeitura se pronunciou novamente sobre o caso: “Com relação à suspeita de H1N1,  no fim da tarde, do dia 4/4,   enviou-se material para Belo Horizonte, que centraliza o exame de todos os casos suspeitos nos 853 municípios mineiros”.  A fim de explicar como funciona o processo para casos como este, a prefeitura ainda cita: “Então o material chegou ontem em Belo Horizonte ( Capital Mineira)  para exame,  vai ficar na fila aguardando que seja realizado,  o resultado encaminhado para Unaí. Não temos a previsão de divulgação do resultado”.

É de suma importância que toda a população de Unaí entenda um pouco mais sobre o que é a “Gripe Suína” causada pelo vírus influenza A – H1N1, por isso o Portal Iluminar preparou um pequeno e rápido informativo sobre a doença.

O vírus H1N1 é uma mutação do vírus da gripe, fazendo com que ela se torne mais forte do que nós conhecemos, vale lembrar ainda que essa gripe é transmitida da mesma maneira que a gripe comum, porém seus sintomas são bem mais fortes e prejudiciais e se não forem tratados logo, podem vir a levar o portador do vírus a falecer.  Outro fator que vale ressaltar é que existem grupos de risco que estão mais suscetíveis a contraírem o vírus e a  Sociedade Brasileira de Imunizações alerta quais são esses grupos:

“Pessoas a partir de 60 anos;

Grávidas a partir de 12 semanas;

Mães com até 45 dias pós-parto;

Crianças de 6 meses a 5 anos;

Portadores de doenças crônicas não transmissíveis;

Trabalhadores da saúde;

População indígena;

Pessoas privadas de liberdade.”

As pessoas que compõem esses grupos devem tomar um cuidado redobrado, porém não somete elas, mas todos nós podemos e devemos tomar algumas precauções como:

Beba bastante água, para que não haja acúmulo de secreção;

Lave as mãos sempre com água e sabão e evite colocá-las no rosto e, principalmente, na região da boca;

Se não puder lavar as mãos, carregue na bolsa um frasco de álcool em gel para esterilizá-las;

Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas e copos;

Evite o contato muito próximo com alguém infectado;

Evite frequentar lugares fechados e com muitas pessoas;

Mantenha hábitos saudáveis;

Se achar necessário, use máscaras de proteção para não ficar em contato com gotículas contaminadas que estejam no ar;

Vacine-se.

São pequenas dicas como estas que fazem o nosso organismo ficar mais forte e se auto proteger contra esse vírus que mata.