Essa previsão foi passada à nossa reportagem, na manhã de hoje, terça-feira, 14/4, pela Secretária Municipal de Saúde de Unaí, Denise Oliveira.

Segundo a Secretária, a previsão desse pico de contaminação é para o período compreendido entre os dias 25/4 e 28/4/2020.

Denise Oliveira apela para que a população se conscientize ainda mais da necessidade de prevenção, idosos e demais pessoas do grupo de risco devem permanecer em isolamento social, e as demais pessoas devem restringir ao máximo a circulação pelas ruas.

Na entrevista a seguir, a Secretária fala sobre os procedimentos protocolares adotados pela Prefeitura de Unaí, para enfrentamento da Pandemia.

ASCOM/PMU: Quando é que uma pessoa é caracterizada como suspeita de Covid-19?

DENISE OLIVEIRA: Quando apresentar, no mínimo, dois sintomas gripais (ex: febre, tosse, dor de garganta, dor cabeça), aferido em consulta médica presencial, identificado nas barreiras, ou informado na tele orientação do Covid-19, da Secretaria da Saúde, 3677-4988.

ASCOM/PMU: Como é feita a notificação dos casos suspeitos identificados nas barreiras e tele orientação.

DENISE OLIVEIRA: Essas equipes preenchem um formulário, de onde consta, nome e endereço do “suspeito”, e a equipe volante, de posse desse relatório, visita o paciente em casa. Caso os sintomas se confirmem essa pessoa é colocada em isolamento domiciliar por 14 dias, e a partir daí sim, é feita notificação e o caso é considerado suspeito.

ASCOM/PMU: é feito exame de toda pessoa suspeita de contaminação por Covid-19?

DENISE OLIVEIRA: Não. Não existe quantidade suficiente de kits para testar todas as pessoas suspeitas, não existe no mundo, no Brasil, nem em Minas, e claro em Unaí também não tem kits para testar todos os suspeitos.

Em Unaí, os casos suspeitos são avaliados por uma junta multidisciplinar, quando a junta avalia que o caso suspeito deve ser submetido a exame, o médico da junta solicita, e o exame então é feito.

ASCOM/PMU: Quem é responsável pela realização do exame de Covid-19, em Unaí?

DENISE OLIVEIRA: Os exames feitos pela rede pública, tem os kits fornecidos pela Gerência Regional de Saúde. O material é coletado, e enviada para a Funed, Fundação Ezequiel Dias, em Belo Horizonte. Infelizmente esse laboratório tem ficado com a demanda de exames de toda Minas Gerais, então os exames têm demorado vinte ou mais dias para terem os resultados entregues.

Em razão da necessidade de urgência desses resultados, a Prefeitura de Unaí licitou exames em um laboratório particular da cidade. Então é a prefeitura que vem pagando esses exames feitos aqui.

ASCOM/PMU: Por que o isolamento familiar dura 14 dias.

DENISE OLIVEIRA: É porque, durante esse período de 14 dias, a pessoa contaminada permanece transmitindo o Covid-19.

ASCOM/PMU: Como um suspeito é monitorado?

DENISE OLIVEIRA: A monitoramento do caso suspeito é feito por uma equipe do PSF de referência do paciente. Se não há PSF referenciado para a área de residência do paciente, quem faz o monitoramento é uma equipe do Departamento de Epidemiologia da Secretaria da Saúde.

O monitoramento é feito caso a caso, em conformidade com os sintomas apresentados pelo paciente, pode ser por telefone, contatos com intervalos mínios de dois dias, ou visitas da equipe.

ASCOM/PMU: Como funciona o isolamento familiar.

DENISE OLIVEIRA: No isolamento familiar o suspeito deve ficar com circulação restrita a apenas um cômodo da residência, como eu disse anteriormente, por um período de 14 dias.

Os familiares que mantiverem contato com o suspeito, não devem sair da residência.

A equipe do PSF ou do Departamento de Epidemiologia faz o monitoramento do suspeito.

ASCOM/PMU: Quando a suspeita de contaminação por Covid-19, é descartada?

DENISE OLIVEIRA: A suspeita é descartada se for feito o exame e o resultado der negativo.

A suspeita também é descartada, quando a pessoa é colocada em isolamento, e depois de 14 dias não apresenta mais sintomas, apesar de não ter feito o exame. Importante lembrar que nesse caso a pessoa pode retornar à condição de suspeita, pois pode ser que os sintomas não eram de Covid-19, teríamos então a possibilidade de um descarte, eventualmente, temporário.

ASCOM/PMU: Imaginemos que a pessoa é colocada em isolamento domiciliar por 14 dias, mas os sintomas desaparecem com 5 dias, a pessoa já pode sair do isolamento, pois não tem mais sintomas?

DENISE OLIVEIRA: Não, quem for colocado em isolamento deve cumprir os 14 dias, pois esse é o período, em que, se contaminado vai transmitir o vírus, e como sabemos o vírus pode ser transmitido mesmo que a pessoa não tenha sintoma, então tem que cumprir os 14 dias.

ASCOM/PMU: Como alguém pode ser considerado curado?

DENISE OLIVEIRA: Se alguém fez o exame, o resultado foi positivo. Transcorreu os 14 dias, período em que uma vez infectado o indivíduo transmite o vírus. E os sintomas não evoluíram para pior, ao contrário desapareceram, essa pessoa é considerada curada.

Não é necessário um novo exame para atestar a cura da pessoa.

A verificação do desaparecimento dos sintomas é feita pela equipe do monitoramento.

ASCOM/PMU: Quando alguém é internado por covid-19?

DENISE OLIVEIRA: A internação por Covid-19 ocorre quando a pessoa apresenta sintomas graves.

ASCOM/PMU: Quantos pacientes já foram internados no Hospital Municipal de Unaí, por Covid-19?

Nenhum. Não houve nenhum paciente em Unaí internado com COVID-19.

ASCOM/PMU: Como se dá o atendimento de pessoas que buscam o PA, com sintomas gripais?

DENISE OLIVEIRA: Bem, a primeira coisa que a pessoa que tem sintomas gripais deve fazer ao chegar no PA, é dizer, imediatamente para a atendente, que tem esses sintomas. A atendente entrega uma máscara, e imediatamente encaminha a pessoa que alega os sintomas, para um local de isolamento preparado dentro do Hospital.

A estrutura do hospital, incluindo o PA, foi remodelada para esse tipo de atendimento durante a pandemia.

A pessoa é examinada, medicada, conforme o caso, e avaliada pelo médico referência em Covid-19 no Hospital Municipal, esse médico avalia se há suspeita de contaminação, ou não, se for o caso faz a notificação como caso suspeito, ou faz a internação.

ASCOM/PMU: Como são as acomodações de uma pessoa internada por Covid-19 no Hospital Municipal de Unaí.

DENISE OLIVEIRA: Importante lembrar que, graças a Deus, ainda não tivemos nenhum caso de internação por Covid-19 em Unaí, mas se for necessário, preparamos uma ala com 8 leitos hospitalares, mantendo a distância protocolar, um do outro, todos os leitos estão equipados com respiradores e outros equipamentos. Nessa ala, o paciente de Covid-19 terá assistência médica, e de enfermaria 24 horas por dia.

ASCOM/PMU: O Hospital Municipal tem 8 leitos equipados para eventuais atendimentos de internações por Covid-19, mas se houver uma grande demanda, 100 ou mesmo 200 leitos, por exemplo, o que a Prefeitura vai fazer?

DENISE OLIVEIRA: Antes de tudo é necessário estabelecer que as internações por Covid-19, são consideradas de média e alta complexidade, portanto de responsabilidade do Estado, no entanto, se surgir uma demanda dessa grandeza, a Prefeitura pode ajudar disponibilizando espaço físico para o Estado fazer as adaptações necessárias com a instalação de equipamentos, para utilização emergencial.

ASCOM/PMU: Denise, para evitar aglomerações na Farmácia Básica, a Prefeitura disponibilizou um serviço de entrega de medicamentos em domicílio, a população está usando esse serviço?

DENISE OLIVEIRA: Infelizmente não está usando, não está usando como deveria, esses dias mesmo, passei em frente a farmacinha e vi uma grande fila na porta, com certeza, todas aquelas pessoas não estavam aviando receitas de antibióticos ou remédios controlados não, infelizmente as pessoas não tem demonstrado medo das aglomerações, isso é muito triste. Gente, não é necessário ir à Farmácia Básica em busca de medicamento de uso contínuo, eles podem ser entregues na casa do paciente, é só solicitar pelo WhatsApp da farmacinha.

ASCOM/PMU: E o serviço de tele orientação, as pessoas tem usado?

DENISE OLIVEIRA: Tem usado bem menos do que deveriam, a Prefeitura mantém uma equipe de saúde, ao lado do telefone na Secretaria, tem médicos profissionais da enfermagem à disposição para tirar dúvidas, e mesmo orientar no caso de pessoas com sintomas, e o número de ligações é muito pequeno.

ASCOM/PMU: E o serviço da equipe volante funcionando normalmente?

DENISE OLIVEIRA: A equipe volante é composta por profissionais da saúde, se necessário o médico vai na casa do paciente com suspeita, e infelizmente nossa constatação, é que as pessoas com suspeita, tem se esquivado de receber a visita da equipe volante, alguns alegam reprovação social, julgamento dos vizinhos e até mesmo medo de serem agredidos, pelo simples fato de estarem sob suspeita de contaminação, isso também é lamentável e dificulta o trabalho da equipe.

ASCOM/PMU: Denise, agradecidos pelo expressivo volume de informações, deixamos aqui espaço para suas considerações finais.

DENISE OLIVEIRA: Eu é que agradeço, e agradeço pedindo, pessoas de Unaí, população, por favor levem a sério o risco de contaminação que é real.

A flexibilização das atividades de comércio feitas pela prefeitura é entendida por alguns, como liberação geral, e não é isso, daqui uns dias será o pico de transmissão aqui em Unaí, é necessário cuidado redobrado, uso de máscaras e álcool gel.

Evitem sair de casa, usem as comodidades que a Prefeitura coloca à disposição, e fiquem em casa, principalmente idosos e pessoas do grupo de risco.

Fonte:ASCOM/PMU.